Os problemas da publicidade cor-de-rosa

O verdadeiro papel da publicidade no Outubro Rosa

Neste outubro, observamos que muitas empresas aderiram ao rosa para se unirem às campanhas de conscientização sobre o câncer de mama. No entanto, percebemos que esse período foi usado também como instrumento de promoção para algumas marcas, o que justifica o excesso de anúncios vazios que vimos em toda parte. Isso nos deu base para refletirmos sobre o papel da publicidade em um período tão delicado e importante.

 

Antes de usar o rosa em algum anúncio ou promoção, devemos lembrar que cada empresa possui um papel dentro do espectro dessa causa social e que é fundamental que a campanha desenvolvida pela marca esteja alinhada a isso. É importante também ter autenticidade para realizar um trabalho coerente com a realidade da empresa. Com esses pressupostos iniciais, se analisarmos bem o que já foi feito para o Outubro Rosa, vamos notar que, no fundo, muitas coisas são frutos da onda “se todo mundo faz, eu também quero fazer”. É claro que a fita rosa nos ajuda a lembrar do câncer de mama, mas o grande problema da publicidade cor-de-rosa é estacionar nesse ponto, sem se preocupar com o objetivo final, que é combater a doença. Ao invés de um engajamento vazio, as campanhas precisam de mais informações e de um call-to-action eficiente para incentivar o autoexame.

 

Outro problema da publicidade do Outubro Rosa é que, muitas vezes, ela dá mais valor à beleza dos seios femininos do que para a própria mulher. E embora algumas campanhas sejam efetivas, elas não são construídas da melhor maneira, pois acabam erotizando toda a causa. Além disso, ao destacarem apenas mulheres consideradas padrão de beleza (brancas, magras e jovens), fazem com que muitas outras não se sintam representadas.

 

É essencial lembrar-se do câncer de mama, mas a publicidade não pode atuar apenas como um lembrete, ou pior, usar o Outubro Rosa como uma forma de promoção. Estamos em um período extremamente importante e que deve ser difundido com responsabilidade por todos.

Fabianne Falcão
Uma verdadeira padawan
Redação

Deixe o seu comentário

Artigos Relacionados